Mais que uma escolha financeira,
a decisão de cuidar do que é valioso para todos.

Saiba mais
 

É com esse olhar que continuaremos contribuindo para uma
economia mais próspera e sustentável.

 

Promovemos o desenvolvimento econômico e social nos locais e regiões em que estamos presentes, impactando pessoas e territórios.

Saiba mais

Faça o download da declaração pública
das intenções e do compromisso do Sicoob
com o desenvolvimento sustentável.

Plano de Sustentabilidade

Conheça nosso plano que reúne um conjunto de compromissos e objetivos que contribuirão para o avanço da sustentabilidade no Sicoob até 2030.

criança
 

Relatório de
Sustentabilidade

Fique por dentro dos resultados sistêmicos da performance do Sicoob em Sustentabilidade.

A edição de 2022 foi escolhida como melhor prática nas categorias “COMPLETUDE” e “PARCERIAS & COLABORAÇÃO” da Reporting Matters (iniciativa promovida pela WBCSD, em colaboração com o CEBDS e o Grupo Report).

RELATÓRIO GRSAC

Relatório de Riscos e Oportunidades Sociais, Ambientais e Climáticas.

Comitê de Sustentabilidade

O Comitê de Sustentabilidade (Cosus) é um órgão permanente, de caráter consultivo, cujo objetivo é assessorar o Conselho de Administração do Centro Cooperativo Sicoob (CCS) nas decisões relacionadas à sustentabilidade, assegurando que as diretrizes e políticas sejam cumpridas em todo o Sistema.

O Cosus está em conformidade com a Resolução CMN 4.945/2021, que em seu Art. 6º dispõe sobre a constituição de comitê de responsabilidade social, ambiental e climática, vinculado ao Conselho de Administração.

Membro Função
Felipe Magalhães Bastos Coordenador
Ênio Meinen Vice-coordenador
Rubens Rodrigues Filho Membro
Heli de Oliveira Penido Membro
Walmir Fernandes Segatto Membro
Fábia Lorena Rosi Mantovanelli Membro
Luiz Edson Feltrim Membro

Regulamento do Comitê de Sustentabilidade do Sicoob

PACTOS E ACORDOS

O Conselho Empresarial pelo Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) representa o setor empresarial brasileiro nas mais importantes discussões mundiais sobre sustentabilidade. Ele é representante no Brasil da rede do World Business Council for Sustainable Development (WBCSD). Seu papel é promover o desenvolvimento sustentável por meio da articulação junto aos governos e a sociedade civil.

O Sicoob participa ativamente dos fóruns de sustentabilidade do CEBDS, com representantes nos grupos de trabalhos (GTs) sobre Alimentos, Amazônia e Advocay, e nas câmaras temáticas (CTs) sobre Água, Biodiversidade e Biotecnologia, Energia e Mudança do Clima, Finanças Sustentáveis e Impacto Social. Além de compor o Conselho de Líderes, instância do CEBDS que agrupa CEOs de grandes empresas brasileiras.

O Pacto Global é a maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo. É uma chamada para as empresas alinharem suas estratégias e operações aos Dez Princípios universais nas áreas de Direitos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e Anticorrupção e desenvolverem ações que contribuam para o enfrentamento dos desafios da sociedade.

Ao integrar o Pacto Global, o Sicoob também assume a responsabilidade de contribuir para o alcance dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Em 2015, a Organização das Nações Unidas (ONU) propôs aos seus países membros uma nova agenda de desenvolvimento sustentável para os próximos 15 anos, a Agenda 2030, composta pelos 17 ODS.

Esse é um esforço conjunto, de países, empresas, instituições e sociedade civil. Os ODS buscam assegurar os direitos humanos, acabar com a pobreza, lutar contra a desigualdade e a injustiça, alcançar a igualdade de gênero e o empoderamento de mulheres e meninas, agir contra as mudanças climáticas. O setor privado tem um papel essencial nesse processo como grande detentor do poder econômico, propulsor de inovações e tecnologias influenciador e engajador dos mais diversos públicos – governos, fornecedores, colaboradores e consumidores.

Um dos compromissos do Sicoob é com a transparência das informações. O Sicoob segue os padrões de relato do Global Reporting Initiative (GRI), opção Essencial, desde 2018, quando da publicação de seu primeiro relatório de sustentabilidade.

A GRI fornece os padrões mais usados do mundo para relatórios de sustentabilidade. Os Padrões GRI, também chamados de Relatórios GRI, são um conjunto de diretrizes e indicadores criados pela Global Reporting Initiative que são usados pelas empresas para relatar seu desempenho e desenvolver estratégias de gestão voltada para as questões socioambientais e econômicas.

Em novembro de 2023, aconteceu, em Paris, o 30° Congresso CIBP, que reuniu bancos populares e cooperativos para discutir temas como sustentabilidade, digitalização, regulamentação e relacionamento com os cooperados.

Na perspectiva do tema sustentabilidade, durante o evento, foi lançado o "Manifesto – Sustentabilidade, um valor dos bancos cooperativos e populares" - composto por onze objetivos estratégicos segmentados entre as seguintes áreas:

  • Modelo social cooperativo;
  • Modelo dedicado ao desenvolvimento dos territórios e das pessoas que nele vivem, focado numa abordagem empreendedora;
  • Política ambiental proativa e sustentável.

O Sicoob foi uma das instituições signatárias, se comprometendo a cumprir os objetivos listados no Manifesto de Sustentabilidade.

Para acessar o Manifesto da íntegra e conhecer os onze compromissos, clique aqui.

Durante a COP 28, realizada em 2023 em Dubai, o Instituto Sicoob aderiu ao Compromisso Brasileiro da Filantropia sobre Mudanças Climáticas, promovido pelo Grupo de Institutos, Fundações e Empresas (GIFE), uma associação de investidores sociais privados do Brasil.

O referido compromisso tem o objetivo de servir como uma plataforma comum de ação, aprendizado e coordenação de esforços da filantropia brasileira na ação climática. O documento faz parte do movimento internacional #PhilanthropyForClimate, no qual países como Canadá, Espanha, França, Itália e Reino Unido já possuem seus compromissos nacionais. O Brasil é o primeiro país do Sul Global a lançar o seu compromisso, um instrumento de suporte, indução e facilitação do engajamento da filantropia e do investimento social privado nacional na agenda das Mudanças Climáticas.

Saiba mais sobre o compromisso assinado pelo Sicoob: Compromisso Brasileiro da Filantropia sobre Mudanças Climáticas - GIFE

Durante a COP 28, realizada em 2023 em Dubai, o Sicoob tornou-se membro fundador da Rede Financeira para Amazônia, que tem como objetivo mobilizar recursos do setor privado para promover, simultaneamente, a melhoria da qualidade de vida e a preservação ambiental na região amazônica. A Rede reúne 24 instituições financeiras de 10 países para fortalecer o impacto sustentável na Amazônia.

Clique aqui e saiba mais sobre o ingresso do Sicoob para a Rede Financeira para a Amazônia.

1. Sobre a criação da Política de Responsabilidade Social, Ambiental e Climática - PRSAC

A PRSAC foi elaborada em conformidade com a Resolução CMN 4.945/2021, visando estabelecer os princípios e as diretrizes que norteiam as ações de natureza social, ambiental e climática do Sicoob nos negócios e na relação com as partes interessadas, de forma a contribuir para a concretização do cooperativismo com desenvolvimento sustentável.

2. Ações implementadas com vistas à efetividade da PRSAC e os critérios para sua avaliação

A partir da publicação da Resolução CMN nº 4.945/2021, elaboramos cronograma com o objetivo de sequenciar as atividades, respeitando o prazo de implementação da PRSAC em 1º/12/2022.

Com o estabelecimento do cronograma, foram definidas as seguintes ações:

  • Avaliar as disposições da Resolução CMN nº 4.945/2021, analisando o grau de aderência dos procedimentos atuais e propor medidas para endereçar os pontos de não conformidade;
  • Realizar reuniões mensais de alinhamento entre as áreas de gestão dos riscos social, ambiental e climático (RSAC) e Cidadania e Sustentabilidade;
  • Articular da participação em fóruns, workshops, reuniões e treinamentos relacionados às novas regras;
  • Analisar a carteira de crédito do Sicoob e Banco Sicoob com o objetivo de avaliar as exposições de natureza social, ambiental e climática
  • Estabelecer as atribuições da estrutura de governança aplicada aos RSAC e definir responsabilidades do Conselho de Administração do Centro Cooperativo Sicoob - CCS, do diretor responsável pelos RSAC e do Comitê de Sustentabilidade do Sicoob;
  • Adotar critérios de responsabilidade social, ambiental e climática nos processos de desenvolvimento, revisão e comercialização de produtos e serviços;
  • Realizar treinamentos sobre os RSAC para as cooperativas singulares e centrais do Sicoob, ao longo do ano de 2022, com a finalidade de promover a disseminação interna da PRSAC e informar as principais ações que serão desenvolvidas em atendimento as resoluções (CMN 4.943/2021 e 4.945/2021);
  • Aprovar a PRSAC em todas as instâncias de governança do Sicoob.

O processo de estabelecimento e de revisão da PRSAC será de âmbito da Governança: Conselho de Administração do CCS, diretor responsável pelos RSAC e Comitê de Sustentabilidade do Sicoob.

Todas as ações foram atendidas obedecendo o prazo estipulado na Resolução CMN nº 4.945/2021, conforme estabelecido no cronograma da PRSAC.

3. Setores de exposição aos riscos social, ambiental e climático (RSAC)

Foram aplicados os princípios de relevância e proporcionalidade no processo de gerenciamento dos RSAC nas operações de crédito. A exposição foi avaliada por meio da regra de elegibilidade, que compreende 3 pilares: setores de atuação sensíveis, linhas de empréstimos e financiamentos de maior exposição e saldo devedor em operações de crédito acima de R$ 1,5 milhão.

Foi ampliada a análise dos RSAC, proporcionando avaliação de forma automatizada realizada por empresa especializada na disponibilização de dados socioambientais, obtidos mediante consulta em órgãos competentes. O resultado dessa análise identifica eventos que podem estreitar ou restringir o relacionamento dos cooperados com o Sicoob.

Não realizamos operações com contrapartes que constem no cadastro de empregadores que tenham submetido trabalhadores a condições análogas ao trabalho escravo ou infantil.

Conheça:

- Setores de atuação sensíveis aos riscos social, ambiental e climático - Linhas de Empréstimos e Financiamentos sensíveis aos riscos social, ambiental e climático

4. Pactos e Acordos

Os compromissos oriundos de pactos e acordos são integrados aos nossos processos e práticas de negócios.

5. Relacionamento com Partes Interessadas

Reconhecemos o relacionamento com as partes interessadas, na condução dos negócios, assegurando os vínculos de confiança e transparência. Adotamos critérios de responsabilidade social, ambiental e climática nos processos de desenvolvimento, revisão e comercialização de produtos e serviços.

6. Para elaboração da PRSAC observamos a legislação abaixo citada:

  • Resolução CMN nº 4.557/2017;
  • Resolução CMN nº 4.943/2021;
  • Resolução CMN nº 4.945/2021;
  • Resolução CMN nº 4.949/2021.