A informação ainda é a melhor forma de se proteger contra criminosos. Conheça os principais golpes e não entre numa roubada.

 

Fraudes financeiras em celulares roubados

Como é:

Imagine que você está na rua, respondendo uma mensagem no celular, quando de repente alguém rouba seu aparelho. Ainda que o App Sicoob seja seguro e confiável, é fundamental que você adote alguns cuidados para manter sua conta bancária protegida caso tenha o celular roubado. Siga essas dicas e evite que suas informações pessoais e financeiras sejam usadas por pessoas mal-intencionadas.

 

Proteja-se:

  • Jamais compartilhe suas senhas por aplicativos de mensagens ou as guarde em bloco de notas;
  • Sempre apague conversas que contenham senhas e/ou dados pessoais;
  • Evite usar a mesma senha em contas diferentes;
  • Evite andar na rua usando o celular e tenha cuidado ao volante sempre que usar aplicativos como Waze ou Google Maps;
  • Ative o bloqueio de tela com senha diferente das demais;
  • Sempre use “duplo fator de autenticação” nas plataformas que você utiliza;
  • Nunca use a opção “salvar senha” em navegadores e sites;
  • Mantenha o IMEI do seu aparelho anotado em casa ou em algum lugar seguro.
Foi vítima? Saiba como você deve agir:
  • Avise sua cooperativa imediatamente ou ligue 0800 724 4420 (opção 5) e peça para desabilitar o acesso à sua conta;
  • Envie um comando para apagar os dados do seu aparelho remotamente (recurso disponível para Android e iOS);
  • Avise sua operadora e solicite o bloqueio da linha e do IMEI do aparelho;
  • Faça um B.O. na delegacia mais próxima ou pela internet;
  • Avise seus familiares e amigos.
 

Como é: Imagine que você está na rua, respondendo uma mensagem no celular, quando de repente alguém rouba seu aparelho. Ainda que o App Sicoob seja seguro e confiável, é fundamental que você adote alguns cuidados para manter sua conta bancária protegida caso tenha o celular roubado. Siga essas dicas e evite que suas informações pessoais e financeiras sejam usadas por pessoas mal-intencionadas.

Proteja-se:
  • Jamais compartilhe suas senhas por aplicativos de mensagens ou as guarde em bloco de notas;
  • Sempre apague conversas que contenham senhas e/ou dados pessoais;
  • Evite usar a mesma senha em contas diferentes;
  • Evite andar na rua usando o celular e tenha cuidado ao volante sempre que usar aplicativos como Waze ou Google Maps;
  • Ative o bloqueio de tela com senha diferente das demais;
  • Sempre use “duplo fator de autenticação” nas plataformas que você utiliza;
  • Nunca use a opção “salvar senha” em navegadores e sites;
  • Mantenha o IMEI do seu aparelho anotado em casa ou em algum lugar seguro.
Foi vítima? Saiba como você deve agir:
  • Avise sua cooperativa imediatamente ou ligue 0800 724 4420 (opção 5) e peça para desabilitar o acesso à sua conta;
  • Envie um comando para apagar os dados do seu aparelho remotamente (recurso disponível para Android e iOS);
  • Avise sua operadora e solicite o bloqueio da linha e do IMEI do aparelho;
  • Faça um B.O. na delegacia mais próxima ou pela internet;
  • Avise seus familiares e amigos.

Como é: A vítima recebe um telefonema informando que um parente próximo está em poder de sequestradores (o que é mentira) e solicitam o pagamento de resgate imediato através de transferência ou depósito; ou um falso parente telefona para a vítima solicitando um "empréstimo" imediato para arcar com despesas de uma eventualidade inesperada. Após contatar a vítima, os golpistas passam informações bancárias de conta corrente para a qual a transferência deve ser realizada. Proteja-se:

  • Desconfie sempre!
  • Ao receber este tipo de telefonema, não fale o nome do parente em nenhum momento.
  • Desligue o telefone e contate seu parente para certificar-se de que ele está seguro.
  • Se conseguir, anote os dados bancários fornecidos pelo golpista e avise a polícia.
  • Desconfie de ligações comunicando sequestros. Desligue o telefone e tente contatar o suposto sequestrado.

Como é: Consiste em um site de leilão falso criado com o intuito de roubar dados dos consumidores. Nestes casos, a página falsa aparenta ser apenas mais uma opção oficial e legítima dentre tantas outras de leilões online, com uma diferença importante: o produto nunca será entregue.
Outra técnica utilizada pelos golpistas para trazer ainda mais confiança ao site de leilões é criar uma página no Reclame Aqui (https://www.reclameaqui.com.br/), como se fosse uma empresa constituída. Neste site, os próprios golpistas colocam comentários como se fossem clientes do suposto leilão, mas com reclamações pouco graves, como por exemplo, um retrovisor quebrado em um veículo adquirido ou algum outro dano pequeno. Essas interações buscam dar a impressão de que houve um problema com aquela pessoa, mas que ela de fato recebeu o veículo.
Além disto, existe a pressão do tempo contra a vítima. Por se tratar de um leilão, a pessoa não pode demorar muito para decidir, ela precisa dar o lance e comprar rápido, antes que outro o faça. A partir daí, e uma vez que a vítima consegue dar um lance e é vencedora do suposto leilão, ela recebe um boleto para pagamento. No momento em que a quadrilha identifica que o pagamento foi de fato efetuado, bloqueia todos os contatos e a vítima não consegue mais falar com a suposta “empresa”. Proteja-se:

  • Desconfie de preços muito abaixo do praticado no mercado.
  • Nunca faça cadastros em sites de leilões antes de pesquisar sobre sua reputação.
  • Na dúvida, nunca envie dados bancários ou documentos pessoais.
  • Confirme no site do Detran se o se o leilão está sendo processado na plataforma do leiloeiro designado pelo órgão.

Como é: Consiste no envio de falso e-mail informando sobre um boleto com desconto. Assim, os fraudadores solicitam que a vítima desconsidere o pagamento do DDA e realizem o pagamento do novo boleto enviado pelo e-mail. Dessa forma, os recursos são desviados para outra pessoa. A quitação da obrigação prevista no DDA não será realizada e, assim, a dívida permanecerá. Proteja-se: Se você aderiu ao DDA, se receber um boleto para pagamento por e-mail desconfie e confirme junto ao beneficiário a legitimidade do documento antes de efetuar qualquer pagamento.

Como é: Fraudadores ligam para o cliente e questionam uma suposta compra no cartão. Pedem as senhas para supostamente bloquear o cartão e oferecem mandar um motoboy ao cliente para recolher o cartão para "perícia".
Atenção: O Sicoob não envia motoboys ou funcionários a seu endereço residencial ou comercial, mesmo quando o cartão precisa ser substituído após transações suspeitas e nem pedimos celulares ou digitação de senha. Proteja-se:

  • Nunca informe seus dados bancários e senhas por telefone.
  • Se alguém ou alguma empresa se oferecer para buscar o cartão, cuidado, pode ser golpe.
  • Se não for mais usar o cartão, danifique o chip, pois assim, seu reuso é evitado.

Como é: A maioria dos golpes acontece com o uso de documentos roubados, furtados ou extraviados. Proteja-se: Se você foi vítima de uma destas situações, a primeira atitude a ser tomada é registrar um Boletim de Ocorrência (BO). No primeiro caso (roubo), você deve ir até uma delegacia, nos demais, você pode emiti-lo por meio do site da Secretaria de Segurança Pública.

Como é: Uma nova página inicial surgiu sem sua permissão? Há uma barra de ferramenta ou atualizações que brotou em seu navegador? Tentou acessar um site e foi redirecionado para outro? Suas ferramentas de proteção foram desativadas? Contatos de e-mails e rede sociais avisaram que você mandou conteúdo estranho? Se sim, provavelmente você carrega um malware.
Se a velocidade, tanto em navegadores na internet quanto na execução de programas, ficar visivelmente debilitada repentinamente é outro sinal. Um malware costuma interferir no desempenho por usar parte do potencial de sua máquina para outros fins. Isso também causa travamentos. Proteja-se:

  • Ao receber um e-mail suspeito, com erros de português, links de ofertas incríveis ou imagens de celebridades, não clique no link. Delete o e-mail.
  • Procure ter sempre as versões mais atuais do seu navegador para contar com mecanismos de segurança aprimorados.
  • Evite realizar movimentações utilizando conexões wi-fi de locais públicos.
  • Mantenha seus sistemas e aplicativos sempre atualizados, e verifique se o antivírus está instalado, atualizado e ativo.

Como é: Phishing é uma técnica usada por fraudadores para roubo de informações pessoais via e-mail, SMS, telefonemas ou redes sociais.
Ao clicar no link recebido, você é direcionado para um site falso, muito parecido com o verdadeiro. Porém, quando você informa seus dados, o fraudador os copia sem você perceber. Proteja-se:

  • Atenção ao receber mensagens de SMS que informam sobre bloqueio de acesso ou que pedem atualização de dados pessoais.
  • Alguns possuem erros de português no conteúdo e tentam te convencer a clicar no link e informar seus dados.
  • Outro ponto de atenção é que grande parte dos SMS falsos vem de números particulares e não de empresas.
  • Não abra links de SMS suspeitos e nunca informe seus dados bancários e senhas.

Como é: O usuário recebe um link ou arquivo por e-mail que, ao ser clicado, altera uma configuração de segurança do computador, permitindo acesso remoto por fraudadores. Proteja-se: Não abra links de SMS suspeitos e nunca informe seus dados bancários e senhas.

Como é O fraudador, se passando por empregado da Central de Suporte ou da cooperativa, induz o cooperado, por telefone, a realizar uma atualização de segurança e solicita à vítima que acesse uma falsa aplicação do internet banking, na qual o cooperado informa todos os dados de acesso à conta, incluindo a senha.
De posse dos dados capturados, o fraudador acessa o App Sicoob do seu celular para cadastrá-lo na conta do cooperado e, ainda na ligação telefônica, solicita ao cooperado que acesse o App Sicoob para realizar a leitura do QR Code de liberação de dispositivo. Uma vez liberado o celular do fraudador, ele passa a efetuar transações financeiras até o limite disponível do cooperado. Proteja-se:

  • O Sicoob não solicita atualização do internet banking por telefone, envio de QR Code ou links em mensagens de texto.
  • Nunca faça transferências, TEDs, DOCs ou pagamentos em sua conta corrente para fazer um teste após suposta atualização do Internet Banking.
  • Sempre confira todas as informações contidas na tela do celular após leitura do QR Code.

Sabia que alguns dos golpes mais comuns são aplicados por meio do WhatsApp? Aprenda a identificá-los e saiba como se prevenir.
  • No Golpe do WhatsApp, o fraudador cadastra indevidamente o número de telefone do usuário em outro dispositivo e, após esse processo, um SMS contendo um código de liberação de acesso é enviado para o celular da vítima. Por meio da engenharia social, a vítima é induzida a fornecer esse código ao criminoso e, em seguida, a sua conta de WhatsApp é bloqueada. Nisso, o golpista passar a enviar mensagens para os contatos da vítima pedindo dinheiro no nome dela.
  • Outra modalidade de clonagem de contas do WhatsApp tem como alvo pessoas que publicam anúncios em sites de vendas e disponibilizam um número de celular. Com a informação, os autores do golpe enviam uma mensagem se passando pela empresa que hospeda o anúncio, alertando a vítima sobre uma suposta necessidade de manter o anúncio ativo com o envio de um código. Na verdade, o código é para instalação do WhatsApp e, caso a pessoa o envie, seu acesso ao aplicativo é cancelado e a conta é transferida para o outro aparelho. Assim, mesmo com número diferente, os cibercriminosos terão acesso ao histórico de mensagens da vítima para ajudá-los a aplicar os golpes. A dica para se proteger é ativar a verificação em duas etapas do WhatsApp. É muito fácil: 1 - Acesse as CONFIGURAÇÕES ou AJUSTES do WhatsApp, em seguida clique em CONTA e CONFIRMAÇÃO/VERIFICAÇÃO EM DUAS ETAPAS. 2 - Forneça seu endereço de e-mail e em seguida cadastre um PIN de 6 dígitos. Periodicamente o WhatsApp irá solicitá-lo. Fique atento! Se alguém te mandar mensagem pedindo dinheiro emprestado, desconfie! Sempre ligue por outro canal e confirme se é a pessoa, de fato.