null Conta Capital: a porta de entrada para o cooperativismo é também seu alicerce

13/04/2021 16:48

Quem entra no universo do cooperativismo costuma se deparar com termos e conceitos até então desconhecidos da maioria. Uma das primeiras expressões apresentadas ao futuro cooperado é a definição de Conta Capital, que constitui o primeiro passo para o associado começar a usufruir de todas as vantagens, conveniências e incentivos de uma cooperativa de crédito.

Para ser admitido em uma instituição do tipo é preciso se adquirir cotas de participação, que são depositadas na Conta Capital aberta em nome do associado. Estas cotas, juntamente com as de outros integrantes, compõem o chamado capital social da cooperativa. “Quanto mais cotas a pessoa adquire, maior é sua participação nos rendimentos e na capitalização”, diz Taís Di Giorno, presidente executiva do Sicoob Cecres.

A remuneração a este capital investido representa um dos diferenciais competitivos de uma cooperativa de crédito. Nelas os resultados – que nas instituições financeiras convencionais vão direto para os acionistas – são compartilhados com os cooperados de acordo com sua atuação. “A equação é simples: o fortalecimento do patrimônio líquido da cooperativa se converte em rentabilidade ao associado”, afirma Di Giorno.

O dinheiro investido pelo associado em sua Conta Capital é também a fonte de recursos que possibilita aos cooperados obterem linhas de crédito com prazos maiores de pagamento e juros mais atrativos. Como o desenvolvimento dos serviços da cooperativa depende desses recursos, o incentivo à capitalização é uma das prioridades de cooperativas de crédito como o Sicoob Cecres.

Taís diz que o processo passa necessariamente por uma mudança de mentalidade. Diferentemente do cliente de um banco comum, o participante de uma cooperativa de crédito tem status de sócio. “Como donos da sociedade, os cooperados devem assumir de fato esta postura e aplicarem capital na empresa que lhes pertence”, resume a executiva.